Técnico 23 Nov 2005 17:00

Ubuntu

Ubuntu desktopNa sexta-feira passada eu passei algum tempo “exorcizando” o computador que eu uso no trabalho; ou seja, instalando Linux para substituir o Windows XP que eu usava até o momento. Foi um processo interessante, principalmente porque é a primeira vez que uso Linux como meu desktop “primário”. A distribuição escolhida foi a Ubuntu (baseada em Debian), versão 5.10.

O computador em questão é um Dell GX280; o detalhe mais peculiar dele é que o teclado não usa o conector PS/2, mas sim a porta USB. O monitor tem portas USB que replicam as do computador, o que faz com que eu tenha o teclado conectado diretamente ao monitor, e o mouse ao teclado. É prático, mas eu achei que havia alguma chance de que os Linux em geral não gostassem disso. Eu tinha razão: precisei conectar um teclado PS/2 à maquina para conseguir completar a instalação. Uma vez instalado, o teclado USB funciona perfeitamente.

Admito que o exorcismo não foi tão radical assim: a partição Windows foi mantida, com metade do disco, e instalei Ubuntu na outra metade; fiquei com uma estação dual-boot, portanto. Depois de alguns sustos, incluindo uma desagradável mensagem de “Missing operating system” no primeiro reboot, completei a instalação e fiquei com um Ubuntu funcionando perfeitamente bem.

Peculiaridades:

  • na instalação, não havia como configurar o teclado para “US-International”, mas depois de instalado foi possível fazer isso e a acentuação funcionou normalmente. O único detalhe foi o cedilha: ao teclar a seqüência normal, acento agudo + c, consegui um c com acento agudo (ć), o que faz um certo sentido. Para o cedilha, preciso fazer compose, vírgula e c. Sim, eu sei que não existe uma tecla “compose” em teclado de PC; ela é configurável (System -> Preferences -> Keyboard -> Layout Options -> Compose key position), selecionei o Alt da direita.
  • o plug-in para ver vídeos em Firefox (totem) não funciona direito; a primeira vez que caí em uma página com um vídeo Windows Media ele alocou toda a memória do sistema e precisou ser morto; a segunda vez, com um Quicktime, o vídeo tocou quatro vezes mais rápido que o normal e, em seguida, o browser fechou. Desabilitei o plug-in.

Fora isso, até o momento tudo funciona perfeitamente bem, e parece mais rápido do que em Windows para o mesmo tipo de tarefas. Em particular, o OpenOffice parece sensivelmente mais rápido do que o MS Office, e a atualização da tela em janelas de terminal é definitivamente muito mais rápida. Para o que eu uso, está ótimo, e não prevejo uma desistência tão cedo.

4 Responses to “Ubuntu”

  1. on 24 Nov 2005 at 00:46:50 1.Tales said …

    Bem-vindo à Matrix, Wilson.
    Aqui estou usando o Fedora 4 em um Dell GX620 e tanto o teclado como o mouse USB foram identificados sem problemas (estava com o mesmo receio que você na instalação).
    Quanto ao Totem, consegui fazer ele funcionar legal com os vídeos Windows Media, mas não consegui com os vídeos Quicktime.
    O que fiz para o Totem está descrito abaixo:

    Preparação

    1. Crie o arquivo /etc/yum.repos.d/livna.repo com as seguintes informações:
    [livna]
    name=Livna RPM Repository for Fedora Core
    baseurl=http://rpm.livna.org/fedora/$releasever/$basearch/RPMS.stable
    gpgcheck=1
    gpgkey=http://rpm.livna.org/RPM-LIVNA-GPG-KEY
    enabled=0

    Instalação

    1. Instale o totem-xine from livna.org, assim como as suas dependências

    sudo yum install totem-xine

    1. Instale os últimos win32 codecs do mplayer

    wget ftp://ftp3.mplayerhq.hu/MPlayer/releases/codecs/all-20050115.tar.bz2
    tar jxvf all-20050115.tar.bz2
    sudo cp all-20050115/* /usr/lib/win32
    ==Configuração==
    # Nas preferências do Totem, clice em “Reset Defaults”

  2. on 24 Nov 2005 at 01:12:21 2.Thiago Vinhas said …

    Wilson, não sei se a escolha do Ubunto foi uma imposição da empresa, mas para usar como desktop, a melhor pedida é sem dúvida o Suse 10. Desde que foi comprado pela Novell, ele tem melhorado a cada versão, e essa última, vem sendo aclamada como a melhor versão desktop de linux de todos os tempos. Uso no meu trabalho, e em casa. Tanto para desktop, como para servidor.

    Os plugins e a visualização de videos, windows media, quicktime, etc, é perfeita também.
    Só uma dica.

    Abração!
    Thiago

  3. on 24 Nov 2005 at 09:28:49 3.Wilson said …

    O Ubuntu foi escolha pessoal; não vou entrar na discussão sobre que distribuição é melhor para o quê porque isso é discussão religiosa, qualquer coisa que eu disser vai atrair críticas de um lado ou outro…

    Sobre o teclado USB, eu acho que o problema é com a máquina (talvez alguma configuração da BIOS): ele não funciona nem mesmo para entrar na tela de configuração (pressionando F2 durante o teste de memória). Acredito que as portas USB do monitor não estejam sendo habilitadas até algum sistema operacional entrar e fazer isso.

  4. on 24 Nov 2005 at 22:22:14 4.Thiago Vinhas said …

    Wilson, quanto ao teclado USB, você deve habilitar a opção “USB Legacy” e/ou USB Keyboard na BIOS.