Hoje foi a final do campeonato australiano de futebol (soccer), a A-League. Essa foi a segunda edição do campeonato; ano passado, o Sydney F.C. foi campeão, vencendo os Central Coast Mariners na final.

Sydney ficou fora da final desta vez; em compensação, o Melbourne Victory, que não tinha passado para as finais no ano passado, este ano garantiu a primeira colocação na primeira fase com cinco rodadas de antecedência. Na semi-final, passou apertado pelo Adelaide United (0×0 em Adelaide, 2×1 nos descontos em Melbourne) e, duas semanas depois, pegou o próprio Adelaide na final.

Um aparte rápido para explicação: o campeonato tem oito times, e quatro passam para a fase final. O terceiro e o quarto colocados disputam uma semi-final (“minor semifinal”); quem perder, está fora. O primeiro e o segundo colocados (no caso, Melbourne e Adelaide) disputam a outra semi-final (“major semifinal”): o ganhador vai direto para a final, o perdedor disputa uma “final preliminar” com o vencedor da outra semi-final (no caso, os Newcastle Jets). Isso dá uma vantagem grande (uma “segunda chance”) para os dois primeiros colocados da primeira fase, e Adelaide aproveitou a chance.

A final é disputada em um jogo só, na casa do vencedor da semi-final principal; ou seja, o jogo foi aqui em Melbourne, no Telstra Dome. Os ingressos foram postos à venda na terça-feira e esgotaram em duas horas, e a partida teve o maior público de um jogo de futebol doméstico na Austrália (pouco mais de 55 mil pessoas). Esperava-se um jogo apertado; mas a partida, que começou com um calor infernal (quase 38 graus) e que acabou abaixo de um senhor temporal, não foi nada apertada: Melbourne ganhou por 6×0, com 5 gols de Archie Thompson, atacante da seleção.

Um título para Sydney, um para Melbourne… ano que vem a gente desempata!