Monthly ArchiveMarch 2006



Brasil 31 Mar 2006 16:00

Danças

Eu sei que estou fora do Brasil há algum tempo, mas às vezes as notícias de lá me parecem meio surreais.

Tomemos o caso da dança da deputada. Vejamos se eu entendi: um deputado estava sendo acusado de receber dinheiro ilegalmente e foi a julgamento na Câmara. Foi absolvido. Uma deputada, amiga e colega de partido dele, comemorou a absolvição dançando no plenário; foi suspensa e vai sofrer um processo administrativo por quebra de decoro.

Agora, pergunto: se o deputado foi absolvido, é porque supostamente é inocente, ao menos para a Câmara e oficialmente. Nesse caso, a deputada estava dançando para comemorar o fato de um amigo e colega seu, que é oficialmente inocente, ter sido absolvido; nada mais justo. Qual foi a quebra de decoro, então? Dançar no plenário rende processo e suspensão?

(não estou dizendo que o deputado seja inocente; não estou acompanhando muito as notícias, não sei se ele é inocente ou culpado e, na verdade, não me interessa muito; só estou intrigado com a hipocrisia de absolver o deputado e punir quem fica feliz com isso)

Austrália 24 Mar 2006 13:15

Commonwealth Games

Estão acontecendo aqui em Melbourne, até este domingo, os Commonwealth Games. Eles são uma espécie de Jogos Panamericanos da comunidade britânica (antigo “império britânico”; os jogos também se chamavam “Empire Games” nos primeiros anos). Os jogos começaram no dia 15, com uma grande festa de abertura com a presença da rainha, e estão usando vários dos estádios e ginásios esportivos da cidade.

A Austrália parece levar bastante a sério os jogos, e não só porque eles estão acontecendo aqui: os australianos são os maiores ganhadores de medalhas, já há 20 anos. Mas não sei quão importante eles são para os outros países “grandes” da comunidade (Inglaterra e Canadá, principalmente). Hoje, com três dias de competição ainda por acontecer, a Austrália tem 171 medalhas (65 de ouro) contra 81 da Inglaterra (24 de ouro) e 63 do Canadá (16 de ouro).

Já para a multidão de pequenos países e territórios britânicos que participam, os jogos tem um impacto ainda maior do que as Olimpíadas têm para o Brasil: essa é a única competição internacional da qual eles têm chance de participar, principalmente no caso dos territórios não independentes. São 71 países e territórios no total (37 já tem alguma medalha), incluindo nomes como as Ilhas Falkland (Malvinas para os argentinos), Jersey, Ilhas Cayman, Seychelles, Ilhas Cook, Ilha de Man… a maior parte tem uma participação modesta, mas os países africanos costumam pontuar bem no atletismo. Há alguns nomes surpreendentes entre os participantes; Moçambique, por exemplo.

A cidade se preparou bem para o evento, e parece estar tudo funcionando bem. Uma vantagem de Melbourne é que aqui já há uma grande infra-estrutura esportiva: há dois estádios de grande porte e um complexo de ginásios e quadras esportivas praticamente no centro da cidade e bem servidos por transporte público (mas sem estacionamento); o complexo de piscinas, que já existia (foi ampliado), fica próximo ao centro também. As únicas obras de grande porte foram a construção da vila dos atletas, a reforma de um dos estádios (que vinha acontecendo há vários anos) e a colocação de uma pista para atletismo nesse mesmo estádio.

Até agora, o único “imprevisto” foi o desaparecimento de alguns atletas; suspeita-se que eles queiram ficar na Austrália, ou ilegalmente ou pedindo asilo. Foram um atleta da Tanzânia, um de Bangladesh e (até agora) 11 de Sierra Leone. Nos jogos de 2002, em Manchester (Inglaterra), 21 dos 30 atletas de Sierra Leone também “sumiram”, então não é exatamente um evento imprevisto…

Acaso 22 Mar 2006 12:50

Profissão: Perigo

Ontem eu assisti, pela primeira vez em muitos anos, o primeiro episódio de “Profissão: Perigo” (chamada simplesmente de “Macgyver” em inglês). Esse episódio foi ao ar nos EUA em setembro de 1985, e acredito que tenha aparecido na Globo no início de 1986. Isso foi na época em que a Globo passava um seriado americano por noite, depois da novela. Se não me engano, Macgyver era nas terças; mais tarde começou a passar aos domingos.

O incrível (para mim) é que, vinte anos depois de ter assistido o episódio pela primeira vez, eu ainda lembrava mais ou menos da história: acidente em uma instalação científica (eu achava que era uma usina nuclear, na verdade era um laboratório de pesquisa subterrâneo), Macgyver é chamado para ajudar a resgatar cientistas presos, um dos cientistas é o culpado pelo “acidente”. Lembrava até do incidente do “chocolate no ácido sulfúrico” e da bomba com sódio e água (se não me engano, esse truque foi usado mais algumas vezes na série). O que eu não lembrava era quão absurda a história toda era, mas tudo bem, na época eu tinha 14 anos e não repararia nisso.

E como o Richard Dean Anderson está novinho! Ainda mais comparando com “Stargate” e com o comercial do Mastercard. Mas algo precisa ser dito: a voz do dublador brasileiro é muito melhor do que a original. E, para piorar, no episódio que assisti ontem ele tem um nítido sotaque texano [P.S.: de acordo com a Wikipedia, o sotaque é de Minnesota] que é muito chato; me parece que esse sotaque sumiu com o tempo (não lembro de ter percebido em episódios mais recentes que cheguei a ver em inglês, nem no já mencionado “Stargate”).

Austrália 07 Mar 2006 16:58

Horário de verão

Assim como nos EUA, o horário de verão na porção da Austrália que o adota começa e termina todos os anos em datas pré-definidas, de forma que não é necessário esperar um anúncio do governo para saber quando mudar os relógios. O início é no último domingo de outubro, o fim é no último domingo de março, o que é exatamente o inverso do horário de verão padrão na União Européia (exceto na Tasmânia, que começa no primeiro domingo de outubro).

Neste ano, o último domingo de março é dia 26.

Só que em 2006 acontecem em Melbourne os Commonwealth Games (uma espécie de Jogos Panamericanos, mas envolvendo os 71 países da comunidade britânica). É um evento grande, com milhares de atletas e televisionado para boa parte do mundo. O evento começa dia 15 de março e termina no mesmo dia 26 mencionado acima.

A questão óbvia é que é meio complicado mudar o relógio no meio de um evento deste tamanho. Atrapalharia uma legião de turistas e telespectadores, para não falar dos próprios atletas. O resultado: neste ano, o horário de verão dura uma semana a mais e acaba no primeiro domingo de abril, dia 2. O que, claro, cria uma complicação enorme para qualquer empresa (ou universidade…) com um monte de computadores.

Ou seja: se servir de consolo para algumas pessoas que estão lendo isso (vocês sabem quem vocês são), não é só no Brasil que acontece dessas.

(li que em 2000 aconteceu algo parecido por causa das Olimpíadas de Sydney: naquele ano, a data de início do horário de verão foi antecipada para o último domingo de agosto)

Acaso 03 Mar 2006 15:11

Caixinha de surpresas

O noticiário esportivo do canal 10, ontem à noite, entrevistou o Pelé (em inglês) a respeito da seleção brasileira e da Copa de 2006. Depois de uma rápida conversa sobre o estilo do futebol brasileiro e sobre como a Austrália poderia vir a ter um estilo similar, o apresentador encerrou perguntando quem, na previsão do Pelé, ganhará a Copa. Ele respondeu dizendo que espera que o Brasil ganhe e que o Brasil tem o melhor time hoje em dia, mas que é impossível fazer uma previsão realista faltando quatro meses para a Copa porque, e eu juro que ele disse isto, “football is a box of surprises”.