Monthly ArchiveAugust 2005



Acaso &Austrália 31 Aug 2005 10:39

Vento

É em dias como hoje que o nome deste blog se justifica. Como venta lá fora!

Não como em New Orleans, claro, mas já há três dias que venta forte aqui quase o tempo todo. E de vez em quando chove. Ontem uma árvore caiu sobre os trilhos do trem e interrompeu serviços em uma linha por duas horas, mas fora isso não ouvi falar de outros danos.

Austrália 17 Aug 2005 22:06

As cinzas dos ingleses

Um dos destaques do noticiário esportivo no momento é o torneio de críquete entre Austrália e Inglaterra chamado Ashes Series (traduzindo livremente, Torneio das Cinzas). Realizada a cada dois anos, a série tem cinco jogos, cada um com duração de até cinco dias. Parece-me um nome peculiar para um torneio esportivo, mas, como sempre, há um bom motivo.

Em 1882 já existia uma tradição de jogos entre Austrália (que na época ainda não era um país, mas um conjunto de colônias) e Inglaterra, com uma partida anual sendo disputada alternadamente em cada país. Naquele ano o time australiano foi à Inglaterra para disputar uma única partida e conseguiu uma vitória dramática, depois de estar praticamente derrotado.

No dia seguinte ao jogo, em meio à indignação geral com o resultado, um jornal publicou um obituário reportando a morte do críquete inglês e dizendo “o corpo será cremado e as cinzas, levadas à Austrália”.

A federação inglesa prontamente preparou uma expedição para o início do ano seguinte e, após uma disputadíssima série de três jogos, a Inglaterra ganhou por dois jogos a um. Durante a tal expedição, um grupo de australianas conseguiu uma urna, colocou ali as cinzas de um bastão, e a caixa foi simbolicamente entregue para os ingleses ao final do último jogo, permitindo que eles levassem assim as míticas cinzas de volta para casa.

Desde aquela época a urna com as cinzas (uma cópia; a original está em um museu) é apresentada ao time vencedor no encerramento de cada edição do torneio. A urna parece um troféu, mas tem apenas 10 centímetros de altura. Ou seja, um dos torneios mais importantes do esporte se baseia em uma piada publicada por um jornal inglês em 1882.

A última vitória da Inglaterra foi em 1987; o torneio atual, depois de três jogos, tem o placar de uma vitória para cada equipe e um empate.

O que, aliás, merece uma explicação. Críquete é um jogo um pouco parecido com beisebol: basicamente um time arremessa bolas, o outro rebate. Quando o rebatedor acerta a bola, ele e seus colegas correm entre pontos específicos do gramado, e o time marca pontos. A pontuação final geralmente é alta (300, 400), e existem duas formas de empate. A mais óbvia é quando os dois times marcam o mesmo número de pontos, mas isso é raro (o nome dado é “tie”). O mais normal é que seja declarado empate por falta de tempo: se o jogo acabar (os cinco dias se passarem) sem que o time que está perdendo tenha acabado de rebater (ou seja, sem que todos os rebatedores tenham sido eliminados duas vezes), nenhum time ganhou (e aconteceu um “draw”).

Para ganhar, um time tem de fazer mais pontos que o adversário e eliminar todos os rebatedores deste duas vezes antes de o jogo terminar.

Os australianos dizem que o críquete é, acima de tudo, é uma metáfora para a sociedade local e para a vida: é possível jogar melhor, marcar mais pontos e ainda assim não ganhar. Será?

Austrália 10 Aug 2005 23:00

Inverno

Melbourne tem um inverno mais ou menos parecido com o de Porto Alegre, ao menos no quesito “temperaturas”. As mínimas são similares, mas aqui é mais estável: não há dias de 30 graus no meio de julho; é sempre mais ou menos frio. E, como em Porto Alegre, muito raramente neva na cidade, apesar de existirem estações de esqui a quatro horas do centro.

Por causa disso, há aqui também uma certa obsessão por neve. Assim, quando a previsão do tempo para a quarta-feira (hoje) indicou possibilidade de neve na cidade, dá para entender porque a notícia foi tão comentada. A previsão dava boas chances de nevar (um pouquinho, nada de acumular no chão) nos subúrbios mais elevados e nos morros ao redor da cidade, e apenas 20% de chance no centro.

E, por incrível que pareça, a previsão acabou se confirmando e realmente nevou em muitas áreas do Estado de Victoria, inclusive alguns subúrbios de Melbourne, mas não no centro. Aliás, a última vez que nevou no centro foi em 1986. O jornal “The Age” publicou uma galeria de fotos da neve no Estado.

Mesmo sem neve aqui perto de casa, foi o dia mais frio do ano até agora, com temperatura máxima ao redor de 8 graus e mínima de 3 ou 4. Deve continuar bem frio por mais uns dias, porém menos do que hoje. E sem neve.

Acaso 03 Aug 2005 17:28

Pizza de lula

Não muito tempo atrás, eu escrevi um artigo sobre o que costumo assistir na TV. Um dos programas que eu mencionei foi Iron Chef, um programa culinário japonês em que, a cada semana, dois chefs “batalham” criando pratos usando o mesmo ingrediente como base.

O ingrediente do programa do sábado passado foi lula. O chef desafiante era um japonês especialista em pizzas que havia estudado na Itália por muitos anos. O resultado é fácil de imaginar.

Vocês eu não sei, mas eu não consegui deixar de pensar naquela pizza de lula como uma metáfora para a situação política do Brasil. Mas pode ser só maldade minha.