Monthly ArchiveJune 2005



Acaso 27 Jun 2005 13:50

Vendo de cima…

Depois de muito procurar, achei Tapera no Google Maps!


Tapera, RS, Brasil

Para uma imagem maior, clique na foto acima.

Austrália 14 Jun 2005 13:12

Futebol e a Oceania

Acabou o torneio classificatório ao Mundial Interclubes e, como esperado, o Sydney FC será o representante da Oceania. Ele ganhou o último jogo da primeira fase por 6×0 contra o AS Pirae (Taiti) para garantir o primeiro lugar no grupo, repetiu o placar contra o Tafea (Vanuatu) na semifinal, e venceu a final contra o AS Magenta (Nova Caledônia) por 2×0 diante de um estúdio basicamente vazio.

Enquanto isso, a seleção australiana está na Europa, onde vai disputar a Copa das Confederações a partir de quinta-feira (faz o jogo de abertura contra a Alemanha). Disputou um amistoso contra a Nova Zelândia na Inglaterra, e ganhou por um apertado 1×0. Em outubro ela joga pelas eliminatórias da Copa do Mundo contra as Ilhas Salomão, para decidir qual time da Oceania joga em novembro contra o quinto colocado da América do Sul em busca de uma vaga.

A federação australiana está fazendo uma certa pressão sobre a FIFA para que, a partir da próxima Copa, ou a Oceania ganhe uma vaga direta ou a Austrália passe a disputar as eliminatórias pelo grupo da Ásia, que tem quatro vagas (seguindo o exemplo de Israel, que “se mudou” da Ásia para a Europa). Como fala-se em ter uma Copa aqui em 2014, talvez essa pressão tenha algum resultado; veremos…

Pessoal 14 Jun 2005 12:55

Novo membro na família

GatoNão, não é o que todo mundo está pensando.

Neste domingo fomos a um abrigo de animais e pegamos um lindo gatinho (vide foto ao lado), com uns quatro meses de idade, muito alegre e carinhoso. Foi um processo interessante. Para começar, precisamos de autorização do dono do apartamento onde moramos; animais de estimação geralmente são proibidos em imóveis alugados, mas é mais fácil conseguir autorização para gatos do que para cachorros. Conseguida a autorização (e colocada uma nova cláusula no contrato referente a danos causados pelo animal), fomos procurar um gatinho.

Já havíamos visitado dois abrigos antes: um mais ou menos perto de casa, não muito grande, e outro bem maior mas bem mais longe. Os animais disponíveis para adoção em abrigos são os que foram encontrados na rua sem identificação, ou os que foram deixados por pessoas que não têm condições de cuidar deles (por qualquer motivo). Nos dois casos, os animais sempre saem do abrigo vacinados, examinados por veterinários, castrados e microchipados (um minúsculo chip é inserido embaixo da pele do animal; caso ele se perca, quando ele for encontrado os dados do chip podem ser lidos por um aparelhinho que parece um detetor de metais, e o dono pode ser contactado); além disso, se ficarem doentes nas primeiras duas semanas, o atendimento veterinário é gratuito (mas remédios, se necessários, precisam ser pagos).

No domingo, fomos primeiro ao abrigo mais próximo; caso não encontrássemos nenhum gatinho do nosso agrado, iríamos ao outro. Mas achamos este ali mesmo, gostamos e levamos. Ganhamos uma caixa de papelão para transportá-lo, passamos por um pequeno treinamento sobre como cuidar dele (depois de uma espera de mais de uma hora…), pagamos e levamos para casa. Antes, já tínhamos comprado uma caixinha para areia, e no dia compramos areia e comida para ele.

No primeiro dia, apesar do stress da mudança, ele parecia feliz e bem, comendo bastante e brincando. Na manhã de segunda-feira (ontem, feriado), no entanto, ele vomitou, não queria comida nem água e só queria saber de dormir… ligamos para o veterinário, e ele pediu que levássemos para ser examinado. Fomos muito bem atendidos no hospital, apesar de precisarmos esperar uma meia hora (não tínhamos horário marcado, e feriados são mais movimentados). O diagnóstico, felizmente, não foi nada muito grave: o gatinho só está gripado. Os sintomas são mais ou menos os mesmos da nossa gripe (sim, ele está espirrando de vez em quando), mas o vírus não é transmitido entre gatos e humanos. Ele ganhou um remédio (um antibiótico, só para evitar a possibilidade de outras doenças enquanto está debilitado) e deve se recuperar em uns dez dias. Ele havia sido vacinado contra gripe, mas não deu tempo da vacina criar imunidade.

E é isso. Ontem à noite e hoje ele já parecia bem melhor, mais animado, e voltou a comer (e muito!). O único detalhe é que ele ainda não tem nome (na ficha do veterinário, ficou como “Cat”), mas acho que nos próximos dias a gente escolhe um.

Acaso 09 Jun 2005 17:55

O cego e a gaiola

Existe um provérbio muçulmano que diz “confie em Alá, mas amarre o seu camelo”. Vi um exemplo disso em prática no final de semana passado: um músico cego estava em uma calçada do centro, tocando violão e arrecadando um dinheirinho. Ele estava sentado em um banquinho, com o seu cão-guia às suas costas dormindo sobre um cobertor, e uma bandeja na frente para recolher doações. Sobre a bandeja, uma gaiola: era fácil colocar moedas dentro, mas era impossível tirá-las sem chamar muita atenção.

Em resumo: cego, sim; bobo, não.

Austrália 07 Jun 2005 11:50

As cores do outono

Fitzroy GardensOficialmente já é inverno aqui (desde 01/06), mas agora é que as cores do outono estão chegando ao seu auge. A cidade está muito bonita, os parques estão coloridos com vários tons de amarelo, laranja e vermelho e há folhas secas no chão por todos os lugares.

Na foto, tirada no sábado passado, Fitzroy Gardens, um dos parques próximos ao centro da cidade e um dos lugares preferidos para fotos de casamento em todas as épocas do ano (clique na foto para ver uma versão maior).

Austrália 07 Jun 2005 11:14

Multiculturalismo

Retratos de uma cidade multicultural: ontem eu estava voltando para casa do trabalho, mais ou menos no horário do pôr do sol (umas 5:15 da tarde). A umas duas quadras de onde eu trabalho passei por um táxi estacionado de maneira meio estranha, bloqueando parcialmente uma garagem; na frente do táxi, no chão, um tapete estendido e o motorista, muçulmano, fazendo uma das suas orações obrigatórias voltado para Meca (que, aqui, é mais ou menos para noroeste). Imagino que, quando chegou a hora, ele estacionou onde deu e foi cumprir sua obrigação.

Austrália 06 Jun 2005 18:09

Sacolas plásticas

Sabem aquelas inocentes sacolas plásticas que os supermercados usam para empacotar produtos? Não são nada inocentes! Aqui na Austrália há uma campanha bastante forte para que os consumidores parem de utilizá-las e usem sacolas não-descartáveis ao invés.

O motivo é o impacto ambiental das tais sacolas. Estima-se que quase 7 bilhões de sacolas sejam usadas por ano na Austrália, 2/3 das quais são importadas; elas levam centenas de anos para se decompor na natureza, e causam uma série de problemas:

  • entopem canos de esgoto e pluviais
  • causam problemas para animais aquáticos, que podem ficar presos dentro de sacolas ou ingerí-las acidentalmente por confundí-las com águas-vivas (e a mesma sacola pode ser ingerida por vários animais em sucessão, pois ela não se decompõe)
  • podem intoxicar e até matar animais como vacas e ovelhas
  • são um problema estético: sacolas voando ou espalhadas pelo chão são visualmente desagradáveis

E mesmo sacolas colocadas no lixo corretamente podem causar problemas, pois elas são facilmente levadas pelo vento.

Por conta disso, há propagandas do governo na TV pedindo que as pessoas usem sacolas reaproveitáveis (que os supermercados vendem), e até os funcionários de um dos principais supermercados daqui têm usado crachás dizendo “say no to plastic bags” (diga não às sacolas plásticas). Um detalhe interessante é que as sacolas usadas nos supermercados não são identificadas; não é como no Brasil, em que as sacolas têm o nome e o logo do supermercado bem visível: aqui elas são completamente brancas (ou azuis, ou verdes etc., mas a cor também não indica origem).

O capítulo mais recente foi uma lei passada no estado de South Australia (onde fica Adelaide) proibindo sacolas plásticas; os supermercados (e outras empresas) têm três anos para abandonar completamente o uso de sacolas plásticas descartáveis. Espera-se que os outros estados adotem leis similares nos próximos anos.

Eu sempre reaproveitei as sacolas de supermercados, mesmo no Brasil, principalmente para colocar lixo dentro, mas admito que nunca as tinha visto como um problema ecológico grande. Aqui, o assunto já está em voga desde a década de 90, pelo menos (de acordo com o que tenho lido), mas no Brasil não parece ser uma preocupação grande para ninguém; ao menos não se fala muito a respeito.

Procurando no Google agora por “sacolas plásticas”+”ambiente”, achei uma coluna no caderno de Ciência do Estado de São Paulo que diz: “alguns ativistas e políticos [...] procuram proibir sacolas plásticas e obrigar a população a utilizar embalagens inadequadas”. Não é exatamente a idéia certa, me parece… Também descobri que o município do Rio de Janeiro passou uma lei em abril de 2004 proibindo sacolas plásticas a partir de julho de 2004, mas que até agora não foi regulamentada. (aliás, nunca entendi essa história de regulamentar leis; só ter a lei não serve? por que é que se precisa mais um passo para fazer a lei valer?)

É um assunto que chega a ser mencionado no Brasil? Nem que seja ao menos nos folhetos do Greenpeace ou na plataforma do PV?

Acaso 05 Jun 2005 22:33

O que eu assisto na TV

Talvez eu esteja assistindo TV demais ultimamente. Estes são os programas que eu tenho assistido com uma certa regularidade:

  • Mythbusters (SBS, seg., 19:30): seriado “científico” americano em que dois especialistas em efeitos especiais tentam derrubar mitos populares usando métodos científicos para testá-los na prática; por exemplo, um dos programas testou o mito de que um tiro dado contra a janela de um avião em vôo (pressurizado) causaria uma despressurização explosiva e pessoas seriam sugadas para fora (na verdade, não acontece nada muito dramático)
  • Desperate Housewives (Seven, seg., 20:30): seriado americano muito bobinho, acompanha a vida suburbana de quatro mulheres de classe média-alta depois que uma amiga se suicida misteriosamente
  • The Apprentice (Nine, seg., 22:30): reality-show em que 16 concorrentes executam tarefas relacionadas ao mundo dos negócios, disputando um emprego com Donald Trump; o episódio final é nessa segunda-feira
  • Spicks and Specks (ABC, qua., 20:30): programa de perguntas e respostas sobre música popular (tipicamente rock); os participantes são convidados do programa (não são “pessoas comuns”: geralmente são músicos ou similares), e o apresentador é divertidíssimo
  • The Glass House (ABC, qua., 21:30): programa cômico estilo “mesa-redonda” em que um apresentador, dois comediantes e dois convidados discutem as notícias da semana; engraçadíssimo, em grande parte graças a um comediante chamado David Hughes
  • My Restaurant Rules (Seven, qui. e dom., 19:30): já acabou, mas vale mencionar: reality-show em que cinco casais montaram restaurantes em cinco cidades australianas diferentes, começando do zero, e competiram pelo direito de manter o restaurante no final; foram julgados por críticos profissionais e por voto popular
  • Lost (Seven, qui., 20:30): seriado americano em que um grupo de pessoas sobrevive a um acidente aéreo em uma ilha deserta
  • Amazing Race (Seven, qui., 21:30): reality-show estilo “gincana”, com vários casais viajando ao redor do mundo e executando tarefas espetaculares em locais exóticos
  • Doctor Who (ABC, sáb., 19:30): seriado britânico de ficção científica; existe desde 1963, mas uma nova série começou recentemente, depois de uma pausa desde 1996 sem episódios; um pouco estranho, mas divertido
  • Iron Chef (SBS, sáb., 20:30): programa japonês divertidíssimo; a cada semana, um chef diferente desafia um dos três “iron chefs”, eles preparam uma refeição usando um ingrediente específico como base (no programa de ontem foram aspargos) e um painel decide quem foi o melhor; o mais divertido é o apresentador
  • Rockwiz (SBS, sáb., 21:15): outro programa de perguntas e respostas sobre rock, esse sempre com dois roqueiros australianos como convidados, competindo junto com membros da platéia
  • CSI (Nine, dom., 20:30): seriado policial americano, acompanha a equipe de investigação forênsica de Las Vegas

Sem contar ocasionais noticiários e episódios dos Simpsons, que tem todo dia mas assisto pouco. E aí, será que é demais?

Austrália 05 Jun 2005 00:13

Mais futebol

Uma atualização rápida sobre o futebol (soccer) daqui: o Sydney FC ganhou suas duas primeiras partidas pelo torneio da Oceania, no Taiti, e já se classificou para a próxima fase. Foram suados 3×2 contra o Auckland City (Nova Zelândia), com o terceiro gol nos descontos, e tranqüilos 9×2 contra o Sobou FC (Papua Nova Guiné). Diferentemente do que eu escrevi antes, os dois primeiros de cada grupo passam para as semifinais, e os vencedores depois disputam a final (no próximo domingo).

Curiosamente, esses jogos não estão sendo transmitidos pela TV (a final da Libertadores vai ser, e a Copa das Confederações também). Pode ser por motivos técnicos; um tempo atrás a seleção jogou nas Ilhas Salomão, e não era possível transmitir ao vivo de lá por falta de equipamento…