Monthly ArchiveMarch 2004



Acaso 28 Mar 2004 12:13

Clima

No verão passado e no anterior nós tivemos tornados aqui no Sul. Ok, é algo que acontece, eu lembro de ter lido uma matéria na Veja vários anos atrás mostrando a área do país sujeita a tornados, que se estendia do Mato Grosso até o Rio Grande do Sul (mas não incluía a região metropolitana de Porto Alegre nem o litoral, onde aconteceram os mais recentes).

Agora, no início do outono, aparece um furacão categoria 1 (ou um ciclone extra-tropical, o que é mais ou menos a mesma coisa com outro padrão de temperaturas internas) que destelha centenas de casas em Santa Catarina e no norte do RS.

É só impressão minha, ou tem algo muito estranho acontecendo com o nosso clima?

Pessoal 20 Mar 2004 20:32

Um dois três…

Ignorem, só um pequeno teste…

Acaso 20 Mar 2004 16:03

Como é que é?

Da série “péssimas escolhas de nomes”: the world’s simplest computer. Seria interessante se aparecesse nas lojas por aqui…

(via Russel Beattie)

Pessoal 11 Mar 2004 22:11

Nada Claro II

Bom, depois do que eu escrevi aqui, muita gente pode achar estranho, mas o fato é que meu novo celular é um GSM da Claro. Mas isso só aconteceu porque, graças à minha pontuação no programa de fidelidade deles, eu ganhei um aparelho novo.

Lógico que, como eu disse no outro texto, logo depois de ter o aparelho em mãos eu fui atrás de um jeito de desbloquear. E, como tem gente perguntando, vou dar alguns detalhes.

O meu aparelho é um Nokia 3310, que não é um dos “modernos” para os quais é possível gerar o código de liberação com um programa grátis (ou até mesmo na web). Assim, o que fiz foi procurar alguém que “prestasse o serviço” de desbloquear o celular. E é muito fácil! A quem estiver interessado, sugiro entrar em sites de leilões (por exemplo, o Mercado Livre) e procurar por “desbloqueio GSM”. Vão achar vários, por preços oscilando entre 5 e 15 reais. Sugiro que escolham “prestadores de serviços” que tenham um bom histórico no site, pois tendem a ser confiáveis.

O procedimento, depois, é mais ou menos assim, ao menos para aparelhos Nokia: você informa para a pessoa o modelo do seu celular, a sua operadora e um código chamado IMEI, que é o identificador único do seu aparelho. Esse número é diferente para cada aparelho, e a pessoa geralmente vai lhe dar instruções de como conseguir o número (em geral, digitar “*#06#” no teclado do aparelho). Com isso, ele vai enviar de volta um outro código numérico que deve ser digitado no aparelho, sem o cartão. Isso é importante: o cartão precisa ser retirado antes do procedimento.

Alguns cuidados: não errar ao copiar o número IMEI; não errar ao digitar o código de desbloqueio (se você errar 5 vezes, o aparelho não pode mais ser desbloqueado); e digitar o código de desbloqueio rapidamente (em uns 30 segundos, pela minha conta, o celular desiste e você precisa começar de novo).

Eu fiz o procedimento, e funcionou perfeitamente; testei com um cartão da TIM de um amigo e o aparelho o aceitou alegremente. Novamente, recomendo a quem tiver aparelhos Oi e Claro que os desbloqueiem; vale o investimento.

Acaso 07 Mar 2004 23:05

Closed captions

Quem será que faz o “closed captioning” dos programas ao vivo da Globo (Jornal Nacional, Fantástico)? Será que é um sistema automatizado?

“Closed captions” são aquelas legendas que são transmitidas junto com o sinal, e que podem ser exibidas por algumas TVs, especialmente os modelos mais novos. Servem, basicamente, para que pessoas com deficiências auditivas possam acompanhar os programas. Em filmes e séries, em geral, são muito boas (e servem como uma legenda em português para quem gosta de colocar no SAP para ouvir o som original); mas nos programas ao vivo, quem acompanha pelo texto acaba lendo notícias muito estranhas.

Por exemplo, no Fantástico de hoje, em uma reportagem sobre algum país da África, a frase “a crença sunita que predomina no país” virou “a criança surfista que domina o país” (que, tenho que admitir, soa muito mais interessante). Um pouco depois, um show com 250.000 espectadores ficou só com 250. Na mesma matéia, a legenda apresentou uma frase como “com a direita vedado para bate-papo na Urca”, que eu não consegui encaixar com nada que foi dito. E Jorge Benjor virou Jorge Ben Dior.

Ok, até que quase sempre dá para entender o que está sendo dito, mas o risco de se entender a coisa errada é enorme. Será que não tem como melhorar isso?

Pessoal 06 Mar 2004 22:01

Vendido!

Hoje vendi minha coleção de revistas em quadrinhos. Quase 400 revistas, todas de super-heróis, e todas do final da década de 80 ou, no máximo, início de 90. Homem Aranha, Superaventuras Marvel, Liga da Justiça, Super-Homem, etc. etc. e, especialmente, etc. Todas as revistas, e mais 41 livros do Perry Rhodan de 1984-86, renderam R$100.

O triste é pensar que as revistas, na época, custaram um bom dinheiro, seja lá qual tenha sido a moeda em que foram pagas. O mais triste é perceber que foi um bom negócio, no final das contas, porque a outra opção era jogar tudo fora; não tenho como justificar a ocupação de tanto espaço com algo que nunca mais vai ser útil para nada. Nem “ligação emocional” com as revistas eu tinha mais…

Sobraram várias graphic novels da mesma época que eu não tive coragem de vender por 20 centavos cada; tem aquela clássica dos X-Men com aquele pastor racista, tem a da morte do Capitão Marvel, tem “O Edifício” do Will Eisner… alguém aí estaria interessado em dar um bom lar a essas revistas (ou conhece alguém que esteja)?